Quem é Jah’Lys?

História e criação da Jah’Lys

A Jah’Lys – Espaço de Acolhimento Humanizado nasceu da parceria criada entre duas amigas e profissionais da saúde: A Enfermeira e Acupunturista Jade Rohsner e a Técnica de Enfermagem e Doula Lys Ferri. A ideia da criação de um espaço surgiu a partir do momento que foi observado a carência de São Lourenço e região em possuir um local para atendimento holístico da mulher, quando gestante, e sua família.

Ambas profissionais, que possuem experiência hospitalar, conseguiram se sensibilizar diante a procura da população por atenção e cuidado e, então, perceberam que deveriam utilizar de suas especializações para criar um local de atendimento holístico e humanizado.

Não se pode negar que a criação desse espaço é um sonho antigo, porém nunca foi esquecido, o momento propício foi reconhecido, e AGORA se estabelece de maneira única e diferenciada.

Parece estranho ressaltar que é um espaço humanizado, pois em síntese se espera que todo lugar que atenda à saúde seja humanizado, porém, é notório a falta de humanização que assola o nosso país, e por isso há a garantia que a Jah’Lys busca tal sentimento com força e devoção, pois reconhece-se que para que ocorra um acolhimento especializado deve-se oferecer um tratamento humanitário baseado no amor fraterno.

Fraternidade, compaixão, empatia, termos que se interligam e são pilares do trabalho prestado, termos que na visão da Jah’Lys não podem ser vistos separadamente e possuem o mesmo significado: ressaltar o melhor que há em mim e oferecer a você de coração aberto, permanecer num estado emotivo positivo, compreender o outro e reconhecer o sofrimento e trazer alívio e conforto.

E por que Jah’Lys?

Bem, a partir de tantos sentimentos bons e depois de saber que o Espaço iria se concretizar começou-se a pensar em um nome, havia a necessidade de se unir os valores positivos que são almejados para garantir um atendimento humanizado e ainda demonstrasse que a parceria criada não era mera coincidência e sim algo que muitos buscam, mas poucos possuem.

Muitos e muitos nomes foram pensados, porém nenhum era capaz de transmitir a energia cativante que esse tipo de acolhimento necessita. Foi então como que numa iluminação divina (sim foi divina, e você já irá perceber o porquê!) que houve a percepção dos significados dos nomes Jade e Lys, e daí a intenção de unir ambos, pois todos que tiverem acesso ao espaço irão perceber logo a sintonia que há nessa parceria!

Falando em significado, vamos ao pé da letra para compreender: Jade é uma pedra semipreciosa que para os povos do Oriente tem alto valor comercial por valorizarem sua beleza e pelos benefícios que essa pedra é capaz de trazer para o corpo físico, espiritual e emocional, dizem que ter um amuleto de jade pode ajudar a alcançar a cura e a tranquilidade. E Lys é uma lembrança da tão conhecida e difundida flor de lis que antigamente era utilizada em brasões e escudos, principalmente da nobreza francesa, pois essa flor é símbolo do poder, soberania, honra e lealdade, assim como a pureza de corpo e alma, ou seja, a renovação espiritual e a Santíssima Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo). Em se tratando de Santíssima Trindade, não poderia ser deixado para traz o valor excepcional da criação, Deus como o princípio de tudo e o fiel responsável por permitir que o acolhimento humanizado seja oferecido e para isso o Jade foi adaptado para Jah, uma abreviação de Javé ou Jeová, significa Deus na religião rastafári, mas também aparece nas escrituras hebraicas e nas escrituras gregas, é o Deus da Criação, e por isso foi comentado anteriormente sobre a “iluminação divina”

Toda essa junção de nomes e significados parece complexo, mas na verdade é o mínimo para demonstrar a preocupação real que se possui no tratar o outro com afeto e compreensão, a intenção é que nossos clientes alcancem a cura (pedra de jade) e a sua pureza e autonomia (flor de lis) com todo poder que o Criador (Jah) pode nos fornecer!

Há ainda a observação dos 3 elementos fundamentais unidos em um só plano: mineral (a pedra), vegetal (a flor) e o animal (o ser humano/a divindade).

Essa é a melhor maneira de haver acolhimento, quando todos os aspectos se equilibram e a humanização flui.